Notícias por Cidades:

berimbaubanner.jpgcandeias.jpgmadrededeus.jpgpojucabanner.jpgsaofranciscoddoconde.jpgsaosebastiapdpsse.jpgberimbaubanner.jpgcandeias.jpgmadrededeus.jpgpojucabanner.jpgsaofranciscoddoconde.jpgsaosebastiapdpsse.jpg

 

Publicidade:

     

 

 

 

Saúde

 

Médicos italianos conseguem separar gêmeas siamesas de 1 ano

A cirurgia dos bebês argelinos durou cerca de 10 horas

Médicos italianos conseguem separar gêmeas siamesas de 1 ano

 

Médicos italianos conseguiram separar, com sucesso, as gêmeas siamesas Rayenne e Djihenne, de 1 ano de idade, em uma intervenção cirúrgica realizada pelo Hospital Menino Jesus, em Roma.

O procedimento durou cerca de 10 horas. A cirurgia contou com a presença de uma equipe de 40 pessoas, liderada pelo diretor do hospital, Alessandro Inserra.

"Quando elas chegaram da Argélia, eram recém-nascidas e muito frágeis", explicou Inserra, que utilizou um método especial para diminuir o tempo da cirurgia, que em média dura de 18 a 20 horas.

Nas próximas semanas, o hospital irá realizar outra cirurgia de separação, mas desta vez será em gêmeas siameses do Burundi. As cirurgias fazem parte das missões humanitárias promovidas pelo Hospital Pediátrico da Santa Sé.

 

Fonte: Jornal do Brasil /  Saúde.

 

 

Em caso raro, chute de bebê rompe útero e quase leva mãe a morte

Com forte hemorragia interna, a grávida de 35 semanas foi levada às pressas para centro cirúrgico

(Foto: Reprodução)

 

A história de uma grávida de 35 semanas chamou a atenção. A chinesa identificada como Zhang quase perdeu a vida e o bebê de uma forma inusitava. No último dia 2, ela acordou com fortes dores abdominais e procurou o hospital. Depois de fazer exames, os médicos do Hospital da Universidade de Pequim, em Shenzhen, perceberam que a gestante tinha alterações na pressão sanguínea, pulsação e respiração, o que os levava à suspeita de ruptura no útero. Uma ultrassonografia confirmou o fato, mas com um detalhe incomum: uma das pernas do bebê estava do lado de fora do órgão. A equipe médica suspeita que um “chute” do bebê tenha provocado o rompimento do útero. 

Por causa do alto risco de infecção para mãe e bebê, cinco minutos após a confirmação do diagnóstico, Zhang foi levada para uma cesariana de emergência no centro cirúrgico. O procedimento era considerado de risco, pois ela sofria de forte hemorragia interna. A cirurgia correu normalmente e os dois passam bem. Os médicos confirmaram que a perna do feto estava cutucando a cavidade abdominal da mãe, passando por um corte de sete centímetros no útero. 

Em 2016, pouco antes de engravidar, Zhang passou por uma cirurgia para a retirada de um mioma uterino. De acordo com os médicos, o procedimento deixou cicatrizes no tecido do útero, o que pode ter facilitado o rompimento. A ruptura uterina é uma condição grave, mas extremamente rara. A história foi publicada pelo hospital em sua página no Weixin, uma espécie de "Facebook" chinês.

 

Fonte: Correio da Bahia.

 

 

Calcinha que substitui absorvente chega ao Brasil

Produto ficou conhecido depois de Bela Gil declarar que usa

As calcinhas devem ser usadas de 6 a 10 horas, nos dias de fluxo intenso (Foto: Reprodução)

 

Lembra quando Bela Gil derrubou a internet ao afirmar que usava calcinha absorvente no lugar de absorventes comuns e coletores mentruais? A chef comprava o produto na gringa, mas agora você também pode encontrá-lo no Brasil. A Pantys, primeira marca nacional especializada no item,  produz calcinhas com tecido antimicrobiano com bloqueador de odores. A roupa íntima possui apenas 1/3 da espessura de um absorvente padrão, absorve o equivalente a dois absorventes externos, é reutilizável, pode ser lavada na máquina e dura até dois anos.

A recomendação é de usá-la de 6 a 10 horas, nos dias de fluxo intenso, e o dia todo nos dias de fluxo leve. E, o melhor, ainda tem diferentes formatos para agradar a todos os estilos de mulheres: tanguinha, biquíni, hot pant e clássica.  Os preços variam de R$ 75 a R$ 95 no site da marca. A sustentabilidade é uma das bandeiras defendidas pela Pantys. Durante a vida, estima-se que as mulheres tenham cerca de 450 ciclos menstruais, descartando 150 quilos de absorventes.

Fonte: Correio da Bahia.

 

Cotações

Enquete do Mês

O QUE VOCÊ ACHOU DO NOSSO PORTAL ?

BOM - 31%
MUITO BOM - 31%
REGULAR - 13.8%
ATRATIVO - 6.9%
RUIM - 17.2%

Total de votos: 29
A votação para esta enqueta já encerrou em: 29 Jul 2016 - 00:00